segunda-feira, 1 de julho de 2013

Ser infame trás fama.



Você é detestável! Você é esquisito! Você tem cara de psicopata!
Você escreve coisas tocantes ...
Você me dá medo, mas eu tenho vontade de sentir o seu perfume de perto
Eu quero te beijar, mesmo sabendo quase 90% que você esconde uma faca atrás da jaqueta



As vezes fico me perguntando porquê você é tão cego?
Será que é tão insuportável assim, só comigo?
É como se quisesse ser desagradável de propósito.

O que é que você vê nelas? Pare de me ignorar!
Por que ainda não notou que nós somos iguais?
Extremamente detestáveis e parcialmente adimiráveis!
A frase de um amigo ao contrário.

Mesmo sabendo que não devo esperar nada melhor de você
Magoa-me quando sooas tão canalha.
O que passa por sua cabeça?
Diz! O que esses belos cachos escondem ...

Tão negros quanto a noite, tudo em você pra mim é um mistério
Sempre tão perto de ser desvendado, quando de repente se disfarça de maldade!
O que é que você esconde ?

Que perfume usa, o que gosta de comer ?
O que sempre quis dizer, e o que te magoou?
É realmente esse louco orgulhoso que você é?
Duvido.

O louco que você mostra,
O monstro
Não escreve as coisas que você escreve.
Não leva comida de madrugada pra alguém

Não. Você está se escondendo
Mas de quê ?
Quero tocar o seu rosto, sem sentir você se esquivar
Quero estar onde você está
Quero acariciar a barba por fazer, porque você confia em mim e se solta do jeito que é.
Quem liga pra confiança? Uma cerveja e o seu perfume num bar já bastam por um dia.

Não quero que você se sinta tão importante, não me olhe assim.
Só queria conhecer o lado bom, do ser humano mal que você me mostra
E eu teimo não crer.
Só queria que você me visse

Queria te fazer enxergar, que eu sou a garota que pisa fundo no acelerador
Na mesma estrada que você percorreu
Lamentando a ida de mais uma, enquanto a sua cama esfriava
E já com a garrafa vazia, tentava passar uma imagem de orgulho intacto e ser velho demais pra ficar triste.

Sou a mesma garota que prefere ser má, para não conviver com a expectativa das pessoas em cima dela
Querendo que ela seja boa
Mas que por dentro chora, por destruir o coração ao mesmo tempo que toca

Talvez você de tão esquisito, queira alguém sensível ...
E não eu, igual a você ...
Mas novamente você é cego, porque sou meiga, enquanto você esconde a navalha por trás do jaco.


Nenhum comentário:

Postar um comentário