sábado, 6 de julho de 2013

De trocas de sms à manhãs chuvosas sem dormir, tudo vira post!


Nem faz tanto tempo que não se vêem, mas se atraem
e se distraem.
Numa manhã chuvosa qualquer,
alguém não conseguiu dormir.
E o outro alguém acordou sozinho num sofá da sala
sentindo a falta que a falta faz.
Abstinência.

Numa tarde qualquer
ela faltou.
Não saltou do metrô vestida de vermelho
E ele levou o moletom a toa.
A chuva iria cobri-los
entre os timbres da cantora
- amor é cristão, sexo é pagão-
E ela ficaria ali, grudada no seu braço
de preto e amarelo
feito uma abelha encharcada.
Ele feliz e orgulhoso
desfilariam de mãos dadas
- EU MEREÇO TUDO ISSO!
Mas lá no fundo, ia doer. Porque não é fácil ser carrasco
de quem tem que ficar um pouco no passado.
Especialmente quando o alguém
é bom.
Nela nem tanto, porque é uma abelha louca e sádica.
Só sente, porque ele sente as vezes.
Ou esconde.


Nenhum comentário:

Postar um comentário