segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Oscila

Como a maré, oscila.
Vai e vem, vai e vem, vai e vem.
Se move, e me traga pra dentro de si.
Se move, como uma cobra dançando no balaio
Existe algo louco nela
E isso me instiga

Sei que posso me surpreender
ainda mais.
Do que é que ela gosta? O que é que ela quer?
As vezes penso que sei,
mas como a maré, ela me traga
pra dentro de si
E depois me cospe
de um mar de incertezas
Mergulho ou me afundo sem perceber

Preciso protegê-la de algum mal
mas sou eu que está em apuros.
Será?
As vezes penso que ela se acha tão perigosa
mas também se afunda em si.
E oscila.

Se move.
Eu adoro como ela se move.
Somos tão parecidos
Ela me preenche.

Nenhum comentário:

Postar um comentário