domingo, 8 de maio de 2011

Paranóia


Ela chega tarde em casa ... Uma da manhã ...
Por volta das 3:00pm ainda está acordada.
De repente sua mãe vai dormir, e sua cadela, Holly, pula de sua cama, e corre para o quarto da mãe, pruma cama mais confortável.
Não pode ir dormir, pois está com fome, e dormir com fome lhe trarão problemas de estômago.
Resolve ir até a cozinha fazer um lanche, mesmo estando só.
Silêncio.

Ela odeia aquele silêncio, mas odeia mais ainda tudo que corta aquele silêncio sem naturalidade, por isso desiste da idéia de ligar música no celular.
O barulho contínuo do motor da geladeira a deixa tensa, sem ela perceber. O click da porta do microondas também. Qualquer estalo a deixa em alerta!
Evita olhar para as janelas, espelhos, vidros ... Evita olhar para tudo que tenha reflexo, e sente muito medo de pensar e escrever o que sentiu em relação a vidros e espelhos no blog.
Pois tudo se torna pior, quando ela se expressa e pensa muito no assunto.
Mesmo tentando afastar da mente o pânico, e evitando olhar para os reflexos, ela olha o tempo todo para os cantos da sala vazia.
Mas não olha por muito tempo, com medo de irritar alguém.

Novamente sente medo, e olha para trás, quando escreve isso no blog.
Tem medo de contar, medo dos seus medos virarem realidade. Mas pra ela são realidade! ... Tem medo de se tornarem ainda mais reais, a ponto de ela ter que pensar neles de forma completa, sem precisar sabotar os próprios pensamentos, e se distrair para não pensar diretamente.
Liga o microondas para aquecer o leite na caneca. O som do microondas nunca lhe parece tão alto, até que cheguem as madrugadas.
Ela sabe que são três da manhã, e que isso não é nada bom.
Ela reflete: "Será que terei que ficar acordada até amanhecer, como das outras vezes? A Holly não dormirá comigo, está no quarto da minha mãe. Estou sozinha ...".
Chega a conclusão de que quer dormir. Espera poder dormir.

Come apressada, olha para todos os cantos, tem medo de dar as contas para todos os lados.
Olha novamente para trás enquanto escreve isso.
Verifica novamente duas vezes, pelo reflexo da janela de vidro do seu quarto se não há realmente nada atrás dela.
... Desiste de escrever quantas vezes ela olhou para trás, perdeu a conta.
Termina de comer, bebe o resto do leite frio. Não tem coragem nem paciência de ligar o microondas novamente. Bebe e observa o ornamento pendurado perto da porta da sala (cozinha americana).
É um Apanhador de sonhos, lindo com penas penduradas. Ela gosta tanto que até tem vontade de tatuar um. Mas aquele apanhador não deve gostar muito dela, pois sempre que ela o toca, dá azar.
Paranóia.

Ela termina de comer, e de volta ao seu quarto a mesma rotina: Mantém acesa a luz da cozinha (só não se atreve a ir até a sala), acende a luz do corredor, acende a luz do banheiro (primeira porta do corredor), acende a luz do seu quarto (segunda porta do corredor) e mexe no mouse do computador, para a tela acender. Agora que já trilhou um caminho de luz, pode voltar e apagar uma a uma.
É sempre assim.
Paranóia.

Volta meio de lado, não quer dar as costas pro vazio, fica perto das paredes.
Pega rápido sua escova de dentes no quarto, volta para o banheiro, mas não escova os dentes lá dentro. Fica na porta, de frente para o corredor, para poder vigiar qualquer movimento estranho.

Não se importa em se olhar no espelho, só não olha muitas vezes, demoradamente.
Esse problema com reflexos ... Ela nunca mais poderia ser narcisa novamente.
Enxaguou a boca, pensou: "Antes eu era pior, não tinha coragem nem de me abaixar para enxaguar a boca, com medo de dar as costas ou perder algum movimento estranho."
Voltou para o quarto apressada, saio de lá decidida: Dormir sozinha era impossível!
Entrou no quarto de sua mãe, e trouxe sua cachorra para seu quarto de volta na marra.
Sua mãe não queria permitir, mas ela nem lhe deu ouvidos. Sua mãe não sabia nem metade da "paranóia".
Põe sua cadela em cima da cama, tranca a porta rapidamente!

Senta-se na cadeira, e começa a blogar depressa. Tem medo de pensar, mas precisa escrever! Isso a acalma desde que era pequena.
Seu amigo Yeti fica online:
"Thiago Facuri diz: - Olá"


Ela expira aliviada, uma companhia a acalma, mesmo que seja virtual. Ela bloga e conversa com ele por msn. Tem alguns surtos de medo, mas consegue escrever até o fim.


Paranóia.

11 comentários:

  1. Todos temos um pouco de paranóia.

    http://www.freezer-brain.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. nao sei...
    medo...
    pra mim, o medo só pode ser de coisas... concretas(altura, publico e talz [pessoas, só em lugares extremos, mas nao ddou muitaa bola]...)
    mas o fato é q, se a gente tá em casa, por mais escuro e mais alto q os sons pareçam, td está do msm jeito... a diferença é q vc ouve melhor por ter menos barulhos para "competir" por seu lugar...
    e se alguem for entrar em sua casa, vai ouvir um barulho muuuuito grande, já q ouve o tic-tac do relógio tao alto...
    sem falar q sua fiel companheira escutaria antes de vc e te "alertaria" (caes sao fodas!)
    ;)

    ResponderExcluir
  3. Pff, a minha fiel companheira é do tamanho de uma ratazana! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Capaz de ela dar no pé a fdp. Sem contar que ela não estava comigo, estava trancada no quarto com a minha mãe! kkkkkkkk
    Aquela ali só pensa em conforto! u.ú

    É complicado, quando eu era criança não tinha esses medos absurdos, e agr sim. Pior isso isso aí não é nada, tem muito mais coisas que praticamente ninguém sabe ... (:

    ResponderExcluir
  4. Os barulhos sempre são piores na madrugada, o espelho me assusta, mais eu gostei de toda essa paranóia, me deixou meio paranóica, fiquei observando tudo ao meu redor ... paranóico e emocionante seu texto
    by: Melissa Lobo

    ResponderExcluir
  5. Obrigada huashusahusa
    Mas é complicado, pq é tudo verdade =\

    <3

    ResponderExcluir
  6. nossa maninha isso me acontecia a mim quando eu era criança huashuashuas nao conseguia durmir do medo que pasava,ficava toda a noite coa luz accessa huashuhasuhasuahsau

    ResponderExcluir
  7. Imagine pra mim que já sou "adulta" '-'
    tristeza total.

    ResponderExcluir
  8. huashuashuashuas nao te posso mentir as veces ainda me aconteçe,asique vc nao esta sozinha com esse medo huashuashuas

    ResponderExcluir
  9. ;x
    acho q estou regredindo KASOAOKSO
    as vezes volto a fazer essas coisas mesmo depois de grande.

    ResponderExcluir