terça-feira, 26 de abril de 2011

O outro lado da história (quando os amigos sofrem pela SUA paixonite)

Até o porco espinho quer ser amado (quer, deve e PODE)

Não vou questionar aqui quando precisarei parar de usar meus espinhos pra me defender (a velha carapaça de menina má que engana, só para não ser enganada.), muito menos "como é que vou saber, com quem eu deveria parar de fingir e demonstrar tudo que eu sinto?".
Hoje a questão é: até onde minha felicidade, CAUSA espinhos?
Quando eu sofro, meu apoio normalmente em meus amigos. Dou muita prioridade a meus amigos, até mais prioridade que para um namorado. 
Mas também sou humana, e me apaixono. Logo no início de algumas paixonítes minhas, fico insuportável aos olhos de quem antes, dividia depressões comigo. Assim como quem dividia depressões comigo, se por obséquio, se apaixonasse e ficasse de uma hora pra outra completamente cor de rosa, eu também me sentiria mal. Feliz por meu amigo, mas mal, por estar novamente mais sozinha do que nunca.
E pararia até de infortunar esse amigo apaixonado, pois não combinaria nada a minha depressão, com toda a felicidade que ele exalaria por todos os lados, costumeiro de quem acaba de se apaixonar e é correspondido.
Não sei vindo de mim, mas creio que o amigo meu que tomar essa atitude que eu tomaria, está errado.
Eu sou sensata, e tento ao máximo ser sempre racional. Mesmo colorida de amores, eu sei quando estou sendo ridícula. A diferença é que eu gosto de ser ridícula, todo apaixonado é patético. Então eu apenas continuo, pois o bom de se apaixonar é isso: ser um idiota apaixonado.
E mesmo assim, eu tenho maturidade o suficiente para entender, caso um amigo meu me dissesse "Nossa senhora, como vocês está boboca por causa desse garoto." Eu sei que estou, concordaria. E me desculparia por falar mais de 50 vezes em 10 minutos o quanto eu gosto daquele cara, por motivos que mesmo que eu explique com todos os detalhes (o que torna o assunto MAIS CHATO AINDA kkkk'), só eu acho graça.
É meio triste pra uma pessoa que vive se segurando para não ser feliz demais e quebrar a cara mais tarde, se sentir de alguma forma livre pra poder sorrir, e não sorrir para não zangar os outros. Hahaha'

Mas geeente, amigos meus, queridos e amados amigos:

Se vocês estiverem mal, não se privem de me cutucar na minha bolha cor de rosa de corações. Eu ainda sou a mesma Tábata Borges, e ainda amo muito todos vocês! Tenho total capacidade de sair um pouco dos meus sonhos furta cor e ouvir o que vocês tem a me dizer pacientemente.
Seus problemas são meus problemas. Suas felicidades, são minhas felicidades.

amo vocês.

2 comentários:

  1. Que lindo, seus amigos são felizes ao seu lado, mas como o dito no inicio do port "todo apaixonado é patético" -Eu concordo plenamente, acho que concordo mais ainda pelo fato de não acreditar em amor e blá blá blá!
    Espero que um dia chegue a minha vez, e eu saiba o que é isso!

    ResponderExcluir
  2. KOASKOakookAOKako se você soubesse que apesar de todas essas melações acredito tão pouco quando você ... A diferença é que mesmo sem fé, acredito que não dá pra ser completamente feliz sem. Por vezes ...

    Enfim, obrigada! *-*

    ResponderExcluir