sábado, 23 de abril de 2011

O final torto de "uma vida sexual caótica"

Meu caro amigo Pedro Bala, me deu a chave que eu precisava.


E eu fui. Na manhã passada, resolvi chama-lo para conversar. Conversamos sobre a paternidade dele inclusive, ele sempre quis ser pai e tudo mais. Só o lembrei de quando ele me dizia, que quando ele tivesse um filho (a), ele faria tudo que o próprio pai não fez por ele. Isso inclui respeitar a mãe do bebê, afinal, são uma familia agora, o que um fizer pra atingir o outro, irá atingir o bebê.
Foda-se, isso não vem ao caso:

Conversei com ele, contei tudo que eu consegui me lembrar como no post anterior. Em certas partes ele quase chorou, acho que ele realmente não tinha consciência de TODO O MAL que causava. Mas tinha alguma idéia que estava fazendo besteira, ele apenas não conseguiu evitar de ser tão egoísta e só pensar na própria felicidade (que era estar comigo).
Não resolveu de nada, ele é do tipo que morre negando. Jamais vai assumir que me traiu um dia, que contava vantagem pra todos os amigos (inclusive para os meus), que isso fuzilou a minha moral e a minha confiança nas pessoas, já que em todos os lugares que íamos com seus amigos presentes, eu era o motivo de piada.
Mas fora as traições, ele pôde compreender sobre o meu desgaste emocional . Se desculpou pelo que pôde, e pelo que quis se desculpar.
De qualquer forma, depois que eu lhe disse tudo, depois que contei sobre a forma insegura e doente de como eu me fecho pro mundo por desconfianças paranóicas, ele me respondeu com um sorriso amarelo:
"Tábata, bem vinda ao meu mundo."
Compreendi que antes mesmo de eu tentar entender meus problemas psicológicos, teria que entender os dele. E se em três ano não consegui fazer, não darei uma de psicóloga a essa altura do campeonato.

Então sejamos PRÁTICOS:
Tem algum psicólogo ou psiquiatra me lendo aí?
Marquemos uma consulta então! haha'

Vou tentar me resolver e enfrentar meus medos como posso. Não há nada que possam fazer por mim ...



6 comentários:

  1. TABATA..Q SAUDADES....VC É UNICA MESMO

    ResponderExcluir
  2. Rôooo *----*
    Ahh gatona, obrigada!

    Também estou com saudades ♥

    ResponderExcluir
  3. aaaaaaaaaaaaaaaahhhhhh!
    isso nao vem ao caso...
    nao é pq fazem uma coisa pra ele q ele tem q retribuir para outra pessoa na msm moeda, ainda mais se essa nao tem nada a ver com o assunto (vc, no caso...)
    a verdade é q esse cara é egoísta demais, pensando só no bem estar próprio... tanto q espalhava para os amigos - tanto os seus, como os dele -, querendo, no mínimo, se mostrar o fodao...
    (bom, pelo menos era...)

    bom, de qlqr forma, foi muito bom ter se aberto com ele,por mais q o safado tenha negado...

    bom, tábata, vc merece o melhor, e nao pode deixar q experiencias ruins a abalem, e sim aprender com elas pra q nao voltem a acontecer
    ;)

    bjao, viu, linda!?
    =)

    ResponderExcluir
  4. ÉÉÉÉ, entãaaao ... Eu sei que não é justo (Life is not fair ...), assim como também não foi justo toda a maldade que fiz com meus ex namorados seguintes a ele. Quando tivemos essa conversa, e ele estava me trazendo pra casa ele disse:
    - É engraçado, você reclama, mas se tornou muito parecida comigo.
    Eu disse: - "Pra você ver o tamanho do meu sofrimento. ¬¬ Você não sabe como era ruim eu me olhar no espelho e ver que eu tinha me tornado o reflexo do que eu mais odiava: você."
    Acho que ele não gostou muito de ouvir isso. Eu também não gostei de falar, não queria magoa-lo (que irônico --') mas falei, pois verdade seja dita! Hoje eu melhorei bastante, mas por muito tempo pessoas pagaram com toda a maluquice que herdei dele. Eu tinha esse péssimo hábito de adotar manias ruins dos meus namorados. Acho que estou melhorando (:

    E você está certo querido, eu sei disso. Continuarei tentando tirar o melhor disso, ao invés de prosseguir com o martírio. Não é fácil, mas disse nesse post mesmo que vou tentar.

    ResponderExcluir
  5. isso mesmo!

    naao compensa herdar a parte ruim do que nao gostamos, pra nao nos tornarmos o q odiamos...

    ResponderExcluir
  6. Sim eu sei, é que isso era um fato meio inconsciente. Entende?
    Só depois que eu via as cocozeiras que eu estava cometendo, vinham lembranças do passado e eu via que estava fazendo igual. Não entendo direito porque fiz essas coisas, deve haver alguma explicação lógica.

    ResponderExcluir