segunda-feira, 18 de abril de 2011

Medo



Sabem do que eu mais tenho medo? Tenho medo de depressão. Eu sempre fui o tipo de pessoa que tenta racionar os momentos bons que vivo. Simplesmente porque a muito tempo atrás percebi que tudo que eu amava, era tirado de mim com uma velocidade incrível, e eu nunca soube lidar com a perda dessas coisas. Tudo me fazia cair numa tristeza profunda. E eu não me refiro apenas a relacionamentos, pois esses sim dão e passam obrigatoriamente. Mas tudo. Momentos bons, que nunca voltam, amigos, lugares, sentimentos ... Eu sempre fui de um fundo muito depressivo, pensava que fosse passar quando eu ficasse adulta. Mas é a velha história, quando eu penso que passou, as mesmas coisas se repetem, então tudo que posso fazer é ocupar minha mente com coisas mais construtivas. Mas essa dor estará sempre lá, apenas oculta.



Eu não tenho medo de morrer. Mas tenho medo de fazer isso com minhas próprias mãos.
(Lembrando que nunca tentei me matar, muito menos senti vontade. Mas já pedi muitas vezes pra morrer por um acaso, se assim fosse possível. Haha')
Depois da primeira depressão, não se sabe mais quem é. Não se sabe mais do que se é capaz.
Ontem a noite estive pensando sobre isso, e até conversei sobre o mesmo assunto com o Guto. Um medo de ser feliz demais. E então quando se está feliz, vem um sentimento de culpa por estar feliz! É aí que eu raciono, na esperança de durar mais. E quando é um sentimento imensamente grande, e eu não consigo raciona-lo, vivo tudo intensamente, mas sempre com um medo por trás de tudo, sempre carregando uma tristeza, pois sei que vai acabar um dia, e não há nada que eu possa fazer, a não ser assistir acabar.
Eu sou do tipo que se acostuma fácil com sentimentos bons. E quando eles são tirados de mim, não sei o que fazer. E a mesma depressão volta.
Tenho medo.
As vezes eu tiro de letra ... Outras vezes nem tanto. Vou tentando ...
Outro dia eu li, que isso é típico do meu signo (virgem), esse fundo depressivo. Quer dizer então que nunca me livrarei dessa cruz? Isso me chateia. Mas é bem provável que seja verdade, pois duas fazes já passaram, e eu continuo a mesma.
Sei que sou responsável pelos meus atos, apesar de minha subconsciência não ter tanta certeza, mas o meu pedido impossível do dia, é que do modo que poderem, vocês poderiam me manter lúcida quando chegasse a hora?
(Será que falo essas coisas pra chamar atenção? Juro que se faço, não sei.)
Me manter consciente mesmo quando eu mentir que está tudo bem, e me fechar no meu mundo, para que vocês não tenha acesso a minha própria insanidade?
Difícil não?
....

Pobre Keit, quando cantava que era reprimida por todos os seus medos infantis ...
e eu não lhe dava ouvidos ....


4 comentários:

  1. cada palavra , uma lembrança minha. me assusto com isso. mas me identifico. e sinto medo.

    ResponderExcluir
  2. Unidas pelo medo, talvez. Mas pelo menos você não está sozinha, pense pelo lado positivo. (:

    ResponderExcluir
  3. Tabs, vivo este medo hj e as consequencias do pós alegria se assim posso dizer! Tudo o que eh bom dura pouco eu acho, e isso cada vez eh mais a lei do mundo. E infelizmente essa lei esta entrando nas minhas amizades, e acho que vc sabe do que eu to falando! Qto ao seu post...eu concordo plenamente com ele! E se precisar estamos ai

    ResponderExcluir
  4. É Carlos ... Mas sabe, eu estava vendo tv na madrugada seguinte em que postei isso ... E acho que nós é que somos os anormais por não conseguirmos nos desapegar das coisas.
    Eu estava vendo um desses seriados que passam no SBT, e um dos personagens tinha o mesmo problema que nós. Não sabia aceitar mudanças, se uma coisa estava boa, não sabia aceitar que a perdeu.
    E o modo como esse assunto foi tratado no seriado ... Isso não é normal em Carlos. Temos algum problema com insegurança talvez :\

    ResponderExcluir