terça-feira, 26 de abril de 2011

O outro lado da história (quando os amigos sofrem pela SUA paixonite)

Até o porco espinho quer ser amado (quer, deve e PODE)

Não vou questionar aqui quando precisarei parar de usar meus espinhos pra me defender (a velha carapaça de menina má que engana, só para não ser enganada.), muito menos "como é que vou saber, com quem eu deveria parar de fingir e demonstrar tudo que eu sinto?".
Hoje a questão é: até onde minha felicidade, CAUSA espinhos?
Quando eu sofro, meu apoio normalmente em meus amigos. Dou muita prioridade a meus amigos, até mais prioridade que para um namorado. 
Mas também sou humana, e me apaixono. Logo no início de algumas paixonítes minhas, fico insuportável aos olhos de quem antes, dividia depressões comigo. Assim como quem dividia depressões comigo, se por obséquio, se apaixonasse e ficasse de uma hora pra outra completamente cor de rosa, eu também me sentiria mal. Feliz por meu amigo, mas mal, por estar novamente mais sozinha do que nunca.
E pararia até de infortunar esse amigo apaixonado, pois não combinaria nada a minha depressão, com toda a felicidade que ele exalaria por todos os lados, costumeiro de quem acaba de se apaixonar e é correspondido.
Não sei vindo de mim, mas creio que o amigo meu que tomar essa atitude que eu tomaria, está errado.
Eu sou sensata, e tento ao máximo ser sempre racional. Mesmo colorida de amores, eu sei quando estou sendo ridícula. A diferença é que eu gosto de ser ridícula, todo apaixonado é patético. Então eu apenas continuo, pois o bom de se apaixonar é isso: ser um idiota apaixonado.
E mesmo assim, eu tenho maturidade o suficiente para entender, caso um amigo meu me dissesse "Nossa senhora, como vocês está boboca por causa desse garoto." Eu sei que estou, concordaria. E me desculparia por falar mais de 50 vezes em 10 minutos o quanto eu gosto daquele cara, por motivos que mesmo que eu explique com todos os detalhes (o que torna o assunto MAIS CHATO AINDA kkkk'), só eu acho graça.
É meio triste pra uma pessoa que vive se segurando para não ser feliz demais e quebrar a cara mais tarde, se sentir de alguma forma livre pra poder sorrir, e não sorrir para não zangar os outros. Hahaha'

Mas geeente, amigos meus, queridos e amados amigos:

Se vocês estiverem mal, não se privem de me cutucar na minha bolha cor de rosa de corações. Eu ainda sou a mesma Tábata Borges, e ainda amo muito todos vocês! Tenho total capacidade de sair um pouco dos meus sonhos furta cor e ouvir o que vocês tem a me dizer pacientemente.
Seus problemas são meus problemas. Suas felicidades, são minhas felicidades.

amo vocês.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Essa SIM sou eu

Não se enganem com o salto alto, nem o cabelo alisado de chapinha.



E não sou essa menina fresca que as novas gerações de pessoas que hei de conhecer imaginam. Vejam além, vejam quem foi a Tábata Borges no passado, antes de apontarem deduções pra mim. Não é o meu cabelo, nem a minha roupa que diz quem realmente sou. São as minhas atitudes, por favor.

Eu ainda sou a menina que cabulava aula com a galera pra fazer trilha por aí


Essa sou eu. Tábata Borges Batista de Carvalho.

Um tiro no escuro


Ama-lo é como um tiro no escuro. Incerto ...
Eu, sou do tipo que controla, do tipo que sempre tem toda a situação sob controle, e deixo o cara brincar de mandar. Mas sempre quem dita as ordens sou eu. Ou quase sempre.
E ele ... Ele é do tipo livre, do tipo imprevisível. Ele vive o agora, e o amanhã a Deus pertence. Primeiro age, depois pensa. Hoje gosta, amanhã talvez.
E isso ao mesmo tempo que me joga num poço de inseguranças, me excita a tentar ganha-lo. Tenho essa coisa de tentar domar, roubar pra mim.
Ele não é monótono como os outros caras, e eu adoro isso.
Mas ao mesmo tempo, me dá medo de gastar toda a minha energia, e amanhã ele cansar de brincar de ser domado, e fugir pra outros campos, pra bem longe de mim.
Hahaha
A mim só vai restar a cela, e o cansaço.
Isso é um caso perdido, tudo conspira contra nós.
Então por que eu insisto? Gosto de quebrar a cara? Haha ...

Não sei dizer como, nem porque ... As vezes eu penso em deixar pra lá, as vezes eu penso em dar tudo de mim pra dar certo. Mas o que eu sempre faço, é deixar rolar. E seja como for, deixar acontecer.
Não consigo dizer se é bom ou mal, assim como o ar me parece vital ♪
Hahaha, me dá uma vontade gigante de continuar com isso, mas meu cérebro diz o tempo inteiro que é ilusão.
Queria que fosse que não.
Vou viver essa incerteza, vou dar esse tiro no escuro.
Hmmm, quem será? hahaha

Eu amo ele?

sábado, 23 de abril de 2011

Os dias que vivi contos de fadas

Estão vendo essa imagem? Me lembra uma certa vez ...


Quando eu ainda estava no colégio, precisamente quando eu estava no 2º ano do Ensino Médio, eu namorava o João Marcelo. Hahaha', foram contos de fadas pra mim, se não algo maior.
Tudo bem, isso já passou, mas são momentos memoráveis!
Me lembro de um dia, que cheguei atrasada no colégio, e subi as escadas depressiva (não é preciso muita coisa para que eu fique deprimida haha'), dois andares de escada, aquilo me matava! Eu estava chateada, pois tinha chegado atrasada no colégio, e todos os meus amigos (e o meu namorado) já estavam em suas respectivas salas, eu não ia poder vê-los, e nem conversar com eles.

(Sabia que essa foto um dia ia servir pra alguma coisa! Haha, foi o próprio João Marcelo que tirou pra mim)

Era isso que me alegrava eufóricamente todas as manhãs, vê-los ali no portão me esperando, ser recebida, conversar sobre tudo que eu via no caminho enquanto pegava o ônibus pra chegar até o colégio. Eu ficava bem atenta a tudo que via, só para poder diverti-los quando chegasse no colégio! Era uma desilusão não vê-los ... Haha!
Então subi as escadas cabisbaixa, e quando subi o último degrau, encontrei o João no corredor.

Esse corredor... Quantas vezes me peguei olhando para esse corredor? Corredor de expectativas, de encontros, desencontros, felicidades ... É, como fui feliz neste corredor.

-  Hey Joe!
cumprimentei.
-  Eaí gatinha!
e me abraçou.
Logo depois ele foi tomado de uma felicidade que eu nunca vi igual, me levantou no colo, como na imagem kkkk' e apoiou as minhas costas na parede. Lindo, lindo, fiquei boba demais com essa atitude!
Acho que depois disso ele me beijou e falou mais algumas bobagens ... Não me lembro, fiquei boba demais pra lembrar (E passada também! Nem o Igor ou o Felippe que eram fortões me levantavam assim sem impulso, e o Joe que era tão magrinho ... kkkk' nunca subestime um magrelo! ♥ ).
Porque os homens hoje em dia pulam essas cenas de novela em? Não é a toa que quero sempre manter pouco peso, me peguem no colo seus imprestáveis! hahaha'
É tão gracinha essas coisas! Beijos que vem de repente, abraços elaborados, brincadeiras ...
Sempre fui muito mimada por todos os meus namorados, e até mesmo ficantes, mas o João Marcelo era recordista de situações românticas imprevisíveis.
Viram? Não tenho só do que reclamar, também vivo coisas boas ... (:

Um dia eu conto mais ...

O final torto de "uma vida sexual caótica"

Meu caro amigo Pedro Bala, me deu a chave que eu precisava.


E eu fui. Na manhã passada, resolvi chama-lo para conversar. Conversamos sobre a paternidade dele inclusive, ele sempre quis ser pai e tudo mais. Só o lembrei de quando ele me dizia, que quando ele tivesse um filho (a), ele faria tudo que o próprio pai não fez por ele. Isso inclui respeitar a mãe do bebê, afinal, são uma familia agora, o que um fizer pra atingir o outro, irá atingir o bebê.
Foda-se, isso não vem ao caso:

Conversei com ele, contei tudo que eu consegui me lembrar como no post anterior. Em certas partes ele quase chorou, acho que ele realmente não tinha consciência de TODO O MAL que causava. Mas tinha alguma idéia que estava fazendo besteira, ele apenas não conseguiu evitar de ser tão egoísta e só pensar na própria felicidade (que era estar comigo).
Não resolveu de nada, ele é do tipo que morre negando. Jamais vai assumir que me traiu um dia, que contava vantagem pra todos os amigos (inclusive para os meus), que isso fuzilou a minha moral e a minha confiança nas pessoas, já que em todos os lugares que íamos com seus amigos presentes, eu era o motivo de piada.
Mas fora as traições, ele pôde compreender sobre o meu desgaste emocional . Se desculpou pelo que pôde, e pelo que quis se desculpar.
De qualquer forma, depois que eu lhe disse tudo, depois que contei sobre a forma insegura e doente de como eu me fecho pro mundo por desconfianças paranóicas, ele me respondeu com um sorriso amarelo:
"Tábata, bem vinda ao meu mundo."
Compreendi que antes mesmo de eu tentar entender meus problemas psicológicos, teria que entender os dele. E se em três ano não consegui fazer, não darei uma de psicóloga a essa altura do campeonato.

Então sejamos PRÁTICOS:
Tem algum psicólogo ou psiquiatra me lendo aí?
Marquemos uma consulta então! haha'

Vou tentar me resolver e enfrentar meus medos como posso. Não há nada que possam fazer por mim ...



quarta-feira, 20 de abril de 2011

E se a fruta que eu gosto, ele chupasse até o caroço? Haha'

Darling, don't lie to me ♪

E se a pessoa que você fosse apaixonado, fosse homossexual e você não soubesse? HAHAHAHA'
Como saber? O que fazer?
Eu VEJO esse tipo de coisa, acontecendo entre colegas meus. E não posso dizer nada né, são colegas. Se eu faço a felicidade de um, fodo a vida de outro. Mas vejo que é a maior sacanagem.
E o que impede que isso aconteça comigo? Sempre tive calafrios só de pensar.
Mas não por gostar tanto de alguém, que nunca vai ter interesse por mim. E sim por ser feita de otária.
'' Eu tenho PAVOR de ser enganada. Tenho meus traumas, vocês sabem.
Só de pensar que estou sendo enganada, me fecho. Fico doente só de pensar!
Mesmo quando é uma mentira pequena, tenho pavor. Me sinto humilhada, me sinto idiota, sinto como se tudo mundo risse da minha cara e eu não pudesse fazer nada!
Me sinto exposta! ,,
Exposta por confiar em alguém, que no fundo, mesmo sem querer me magoar, está me passando a perna.
Quando estamos apaixonados, nos abrimos pra pessoa, confiamos, somos ridículos e nos expressamos de formas que no normal, pareceríamos patéticos. Mas nada disso tem problema, porque o NORMAL é que a pessoa também esteja apaixonada por você, e então ela será tão patética quando você. É isso que os apaixonados fazem, são patéticos.
Mas e quando um dos lados está fingindo? E quando é só pra não precisar contar pro resto do mundo sua opção sexual?
O que fazer?

Fudeu, fudeu ♪

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Resposta ao post no blog do "Pensamento de um Del Nero", sobre tecnologia e pessoas.



Agora são 14:44 da tarde (talvez no blogger mostre outro horário, pois nem sempre o que eu escrevo, posto na mesma hora. Eu tenho muitos posts em rascunho), acabei de acordar porque estava sonhando que a minha mãe desligava a Cpu do meu computador. Hahaha' , porra.
Então olhei pro lado, vi a luz do meu celular piscar, eram mensagens do Guto, dizendo que ele não ia trabalhar hoje (ele está doente, desde uns dias atrás.) e que estava na internet querendo me ver, etc.
Saí correndo toda remelenta e descabelada pro pc, e quando ele finalmente ligou e eu mandei uma mensagem de volta avisando que eu estava online, ele me respondeu que tinha acabado de sair da internet e estava indo pro médico.
FAIL
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

É foda como as pessoas são dependentes da tecnologia não é? Ontem a noite quando ele me mandou uma mensagem no celular dizendo que não ia ficar online, porque estava doente e não ia nem trabalhar no dia seguinte, fiquei com uma dó. Queria estar perto dele, sei que não mudaria muita coisa, mas é o que sempre queremos quando temos alguém que gostamos, que mora longe e só temos contato por msn e celular.
Eis a questão, a tecnologia é boa ou ruim em nossas vidas? hahaha
Se não houvesse tecnologia, eu nem ao menos o conheceria, isso me mostra que a tecnologia é boa.
Massss .... Mesmo com tecnologia, ainda não posso me teletransportar. Hahaha


Deixa pra lá, viajei.

O link do post do Carlos, ele é novo aqui no blogger: http://meninodelnero.blogspot.com/2011/04/bom-devo-concordar-com-todos-quando.html   

Medo



Sabem do que eu mais tenho medo? Tenho medo de depressão. Eu sempre fui o tipo de pessoa que tenta racionar os momentos bons que vivo. Simplesmente porque a muito tempo atrás percebi que tudo que eu amava, era tirado de mim com uma velocidade incrível, e eu nunca soube lidar com a perda dessas coisas. Tudo me fazia cair numa tristeza profunda. E eu não me refiro apenas a relacionamentos, pois esses sim dão e passam obrigatoriamente. Mas tudo. Momentos bons, que nunca voltam, amigos, lugares, sentimentos ... Eu sempre fui de um fundo muito depressivo, pensava que fosse passar quando eu ficasse adulta. Mas é a velha história, quando eu penso que passou, as mesmas coisas se repetem, então tudo que posso fazer é ocupar minha mente com coisas mais construtivas. Mas essa dor estará sempre lá, apenas oculta.



Eu não tenho medo de morrer. Mas tenho medo de fazer isso com minhas próprias mãos.
(Lembrando que nunca tentei me matar, muito menos senti vontade. Mas já pedi muitas vezes pra morrer por um acaso, se assim fosse possível. Haha')
Depois da primeira depressão, não se sabe mais quem é. Não se sabe mais do que se é capaz.
Ontem a noite estive pensando sobre isso, e até conversei sobre o mesmo assunto com o Guto. Um medo de ser feliz demais. E então quando se está feliz, vem um sentimento de culpa por estar feliz! É aí que eu raciono, na esperança de durar mais. E quando é um sentimento imensamente grande, e eu não consigo raciona-lo, vivo tudo intensamente, mas sempre com um medo por trás de tudo, sempre carregando uma tristeza, pois sei que vai acabar um dia, e não há nada que eu possa fazer, a não ser assistir acabar.
Eu sou do tipo que se acostuma fácil com sentimentos bons. E quando eles são tirados de mim, não sei o que fazer. E a mesma depressão volta.
Tenho medo.
As vezes eu tiro de letra ... Outras vezes nem tanto. Vou tentando ...
Outro dia eu li, que isso é típico do meu signo (virgem), esse fundo depressivo. Quer dizer então que nunca me livrarei dessa cruz? Isso me chateia. Mas é bem provável que seja verdade, pois duas fazes já passaram, e eu continuo a mesma.
Sei que sou responsável pelos meus atos, apesar de minha subconsciência não ter tanta certeza, mas o meu pedido impossível do dia, é que do modo que poderem, vocês poderiam me manter lúcida quando chegasse a hora?
(Será que falo essas coisas pra chamar atenção? Juro que se faço, não sei.)
Me manter consciente mesmo quando eu mentir que está tudo bem, e me fechar no meu mundo, para que vocês não tenha acesso a minha própria insanidade?
Difícil não?
....

Pobre Keit, quando cantava que era reprimida por todos os seus medos infantis ...
e eu não lhe dava ouvidos ....


quinta-feira, 14 de abril de 2011

Post explicativo sobre "Desabafo sobre uma vida sexual caótica"

1 - "F" foi o meu ex namorado, de um namoro que durou 3 anos.
Ele foi um carrasco sim, mas não há de ser um monstro. Só um cara muito problemático, e que conseqüentemente me deixou também problemática. E conseqüentemente, eu devo ter dado pelo menos uma dor de cabeça aos outros caras que namorei ou fiquei.

2 - Ele vai ser papai de uma linda menininha agora, e muito bem casado, graças a Deus. Me livrei \o/ (a esposa dele que me desculpe se ler isso aqui. Não tenho absolutamente nada contra ela, aliás, ela dá ótimos conselhos. É uma mãe guerreira.)

3 - Ainda tenho sérios problemas psicológicos que não consigo identificar. Por exemplo, tenho essa mágoa por ele, mas apesar de não recorrer a ele, quando me sinto só e não confio em mais ninguém, tenho a impressão que  só posso confiar nele. Mas eu sei que ele é a última pessoa que eu deveria confiar! E eu realmente não confio! O.O Mas é o que eu sinto. Problemático não?

4 - Não são tantas pessoas que sabiam desse relato. A maioria ficou chocada. Mas é complicado falar desses problemas pra cada pessoa que entra na minha vida, é uma história muito longa, e quando se fala de relacionamentos as pessoas já logo te olham como se fosse frescura.

5 - Minha mãe não acredita no meu desgaste emocional. Tudo bem, ninguém da minha familia sabe da metade do que eu passei, mas quando eu falo por alto, ela ri, como se fosse só mais um drama adolescente. Tsc. Se eu insistir, ela acaba dizendo que sou anormal. Meu pai pior ainda, ele sempre dá conselhos vagos, não vou nem perder meu tempo explicando isso pra ele. E meu tio/irmão é romântico demais. Não saberia aconselhar mais que um "deixa isso pra lá".

6 - Depois que eu fiz esse post, muitas meninas me procuraram no msn para me dizer que passam ou passaram por situações semelhantes. Uma delas inclusive, conseguiu pular fora antes mesmo que eu. Muito bom! Fiquem sabendo galera, que dou o maior apoio pra vocês, e sempre que quiserem desabafar, sintam-se a vontade para comentar e falar sobre suas situações em anônimo aqui no Blog. Vocês são muito bem vindos!

Desabafo sobre uma vida sexual caótica

(Eu escrevi esse post a um tempo atrás, eu estava muito pior do que agora. Fiz uns ajustes e estou postando)

Quando eu tinha 13 anos, arrumei um namorado. Meu namoro mais duradouro, e o mais horrível talvez.
Na maioria das vezes, eu consigo passar sem pensar em tudo do que já passei.
Se hoje eu sou cruel devo isso a ele.
Se hoje eu não consigo confiar em mais ninguém, nem em quem MERECE, eu devo isso a ele.
As vezes, pra alguns caras me verem como uma garota séria, eu tenho que dizer "já namorei 3 anos"



Por que o tempo significa tanta coisa, assim, para as pessoas? Não significa que porque namorei 3 anos eu tenha tirado algo bom disso, e não significa que e seja séria ou não, só porque namorei 3 anos.
Hoje devem fazer uns 4 anos que terminei meu namoro com o Felippe. Quando eu escrevi isso, devia fazer uns 2 ou 3 anos que eu consegui terminar com ele. Eu estava "feliz", namorava outro, mas logo começaram a surgir minhas crises de insegurança que já são marcas do meu relacionamento passado. Eu pensava que tinha superado, que era uma pessoa normal e estava tudo bem, mas quando eu comecei a pensar que estava sendo enganada, de forma doentia, olhei pra dentro e logo pensei como a música:
"Tudo esta tão igual assim como eu deixei. Nem parece que se passaram 2 anos..."
Eu não conseguia e talvez até hoje não consiga muito bem, confiar nos meus namorados. Mesmo sem eles me darem motivos. Na verdade, hoje em dia as coisas só pioraram, pois eu não confio em mais ninguém. Qualquer coisa é motivo para eu me fechar e desconfiar do mundo.

E além disso, eu sempre fiquei remoendo o quanto ele era cara de pau, manipulador, cínico e mentiroso. Eu descobria as coisas que ele aprontava e ele desmentia na minha cara, fazia drama, chorava, embaralhava tudo na minha cabeça. No fim das contas era EU que tinha que pedir desculpas, com o se EU fosse o monstro da história.
Você vai dizer: "eu não fiz por mal ... Eu não quis te magoar ... "
E eu vou dizer, que seria ideal fugir te abandonar pra sempre, pra sempre ... ♪


Seria ideal abandona-lo, tentei muitas vezes, mas nunca conseguia. Ele era muito bom manipulador. Então eu ficava apenas sonhando com o dia que eu seria forte e conseguiria acabar com aquele relacionamento louco, que só nos destruía.

Hoje eu digo que não, digo que não guardo rancor. Mas eu guardo sim. Talvez ele nem saiba, mas tudo que eu mais queria, é que ele olhasse nos meus olhos, assumisse tudo que fez e pedisse perdão. Eu nunca vou conseguir viver em paz enquanto ele não for verdadeiro comigo, é uma corrente amaldiçoada que me prente a esse passado horrível, que eu mesma ajudei criar, com a minha covardia e insegurança de nunca conseguir terminar o relacionamento!

Em cada dia da sua vida você vai CHORAR!
Lágrimas sofridas que não vão somar um DÉCIMO do que eu sofri!
Do quanto eu sofri! ♪
Me vinguei dele quando terminamos. Criei maneiras de fazê-lo criar esperanças que íamos reatar, quando ele tentava recomeçar a amar, eu destruía tudo e depois o mandava passear. Não sei se doeu tanto quanto eu imagino, nele. Espero que sim. Mas nunca foi o suficiente. Nunca será suficiente, não importa o quanto eu pise nele.
Eu pude ver, o sol desaparecer
Do seu rosto, dos seus olhos, da sua vida ... ♪
Mas já o odiei muito mais. Já o amaldiçoei intimamente muitas e muitas vezes. Ele me trata como amiga agora, e eu, louca que sou, correspondo. Mas é esse o meu maior desejo. Que ele se desculpe e me liberte desse rancor. É só disso que eu preciso.


É tão NOJENTO dividir qualquer tipo de relação, com uma pessoa que te faz mal e pisa na sua moral.
É NOJENTO transar por obrigação.
A pior coisa que um homem faz é reclamar "já fazem Y dias que a gente não transa".
E a pior coisa que uma mulher faz é "Ta bom!! Vou transar com ele hoje só pra ele CALAR A BOCA!" eu passei praticamente 3 anos inteiros nessa brincadeira estúpida. Tudo bem, eu era uma criança que pensava que sabia o que estava fazendo, mas foi burrada da mesma forma.
Vocês não sabem o desgaste emocional que eu adquiri por isso até hoje.
No começo me incomodava, mas quando acabava eu nem pensava mais no que tinha acontecido, era um incômodo momentâneo. Depois, me tornei fria. Eu transava com ele quando estava sem vontade, fingia um orgasmo, e me achava FODA por saber fingir tão bem. E na última etapa, comecei a me sentir um lixo por ter tão pouco amor a mim mesma a ponto de usar meu corpo assim para a satisfação dele como se eu fosse um objeto. Será que ele sabia dessas coisas? Acho que eu nunca falei ... Jamais teria maturidade pra falar dessas coisas pra ele. E a minha frieza já virou ótima desculpa pra ele espalhar pros amigos PORQUÊ ele me traía tanto.
Na última etapa, eu senti tanto remorço, me senti tão mal, que aos poucos, eu sentia vontade de chorar toda vez que ia pra cama com ele. Mas vontade de chorar mesmo, aos soluços. Engolia o choro as vezes, outras vezes chorava do nada e ele não entendia. Outras vezes chorava sozinha, e nem eu mesma entendia por que chorava sempre. Achava normal, sempre me achei de um fundo meio depressivo mesmo.
O reflexo disso hoje em dia, é que quando saio com "ficantes" se rolar um clima e acabarmos transando, as vezes volto atrás, pois tenho o mesmo sentimento de culpa e obrigação que eu sentia com o Felippe. Se eu não voltar atrás, acabo chorando aos soluços na frente do rapaz. Que lindo. --' (não me lembro de ter acontecido isso do choro com muitos outros namorados, só com o Felippe e alguns ficantes ....)

Que foda, terminei esse post com o coração disparado. Não sei se fui bem clara, talvez falte alguma coisa. Mas eu acrescento no decorrer. Eu nunca tive coragem nem muito entendimento do que sentia pra expor isso que estou expondo agora. Só depois de ter assumido isso pro Guto, e logo depois pra Mell, é que pude finalmente por isso aqui em palavras no blog.
Íntimo não?

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Partiu e seja o que Deus quiser ♪

Larguei um dub no carro e fui dar um rolé, com 5,00 conto, uma cerva e uns amigos, fiz a missão e a massa ta no brilho, partiu e seja o que Deus quiser!



GALERA, fui pra Ilha Bela na louca com uns recém amigos e é claro, a Mell de sábado pra domingo!
Esqueci de postar aqui antes de ir --' Mas tudo bem, fiquei só um dia lá. Que lugar lindooo!
Andei de bote com a Mell, e no meio do percurso conheci um cara que me deixou andar de Jet Sky. Claro que ele queria dar em cima, mas azar o dele, eu queria mais é aprender a andar naquilo! Super fácil, é só acelerar! Delícia! Parece moto, mas é na água, e muito mais fácil de pilotar! Amei, fui de Ilha Bela até a praia de São Sebastião pilotando com o "véio" na garupa HAHAHA'
SOU LOUCA.
E a Mell toda preocupada com nossos dois "amigos" na areia, porque eu sumi de vista! hahaha, pior que esqueci a presilha de cabelo dela que ela me emprestou no "porta luvas" do Jet sky, e esqueci de pegar de volta. Que pena, tão bonitinha a presilha dela. Darei outra.
Dessa vez, mesmo com o pé um tanto quanto atrás, fui de bom grado pra essa viagem, e A-D-O-R-E-I!

Não me siga . . . Estou perdida . . .

E pelo visto, Deus gosta de travessuras de adolescentes loucos e aventureiros, pois nos abençoou com um belo e único dia de sol! Um dos moradores disse que até chegarmos, estava chovendo.
Fomos à praia, com um sol belíssimo, e quando voltamos pro "quarto/banheiro/cozinha" que alugamos, comemos e cochilamos. Logo depois voltou a chover. Hahaha'
Obrigada Deus, por ter nos dado a oportunidade de visitar o litoral norte com um dia único de sol! :D

Aqui uma foto minha naquele paraíso tropical (:

"Pobre de espírito é aquele que não se aventurar. O comodismo é um mal parasitário, juventude perdida é o caralho, eu tenho muito mais pra dizer! ... ♪"
Não leve a vida tão a sério, abra sua mente, faça sua mala. (:


sexta-feira, 8 de abril de 2011

Não sou perfeita (como todo o resto, também sou vilã)

Já morri de inveja, e por que não ? Já desejei o que não era meu. Já roubei o que não era meu (lógico), peguei emprestado e não devolvi inteiro ... Já errei tanto.
Eu me lamento todos os dias últimamente.
Não sou perfeita.
Mas decidi mudar, pois apesar de não ser perfeita, não sou má. Todo mundo é meio vilão, mas duvido que seja por ser essencialmente mau.
Eu já fiz coisas que me arrependo, apesar de costumar só me arrepender daquilo que não faço.
Já prometi e não cumpri. Já disse que amo e não amei. Nem sei o que é amor, como poderia estar falando a verdade? Mas sei o que é paixão, então qual é a palavra que se diz quando se está apaixonado? "Tchau querido, te enamoro!" ao invés de "eu te amo" ? Não vem ao caso ...
Já dei desculpa de cafajeste, e paguei, pois já dormi com cafajeste. E não foram poucos!

Todos os dias, quando eu deito pra dormir, lamento um pouco das pessoas que eu magoei.

(Botei uma foto da Keit, mas não me refiro só a ela)

É só do que me arrependo na verdade, não dos atos, e sim das mágoas que criei. Pessoas que nem tenho mais comigo, mas eu planejo e planejo todos os dias uma força de aborda-las.
E vou aborda-las. Nem que seja só pra dizer a verdade, pedir desculpas e nunca mais voltar a vê-las.
Odeio essa sensação de que "ficou algo por fazer".
Mas tenho mais medo ainda de fazer e ser estigmatizada. De qualquer forma, tenho que enfrentar as coisas mais cedo ou mais tarde.

O bom de tudo isso, é que eu mudei, e mudo mais a cada dia. Hoje tento ser mais honesta ainda, e consciente de meus atos. Todos amadurecemos não é?


Mas não sou perfeita. Nem quero ser ;*

quarta-feira, 6 de abril de 2011

A diferença entra uma mãe normal e a minha

Mãe normal quando a filha caçula vai viajar com estranhos pro meio do mato:

- Filha, leve o celular! E me ligue! E tome cuidado! E me mande a placa do carro por sms ... [...]


Minha mãe quando eu vou viajar com estranhos pro meio do nada:

- Não leve o celular! Se quiser levar o aparelho, ok, mas deixe meu chip aqui porque eu preciso fazer ligações! Eu preciso ligar pra natura!! NÃO LEVE O CELULAR! Qualquer coisa você pode me ligar a cobrar, mas NÃO LEVE O CELULAR! Você está OUVINDO NÉ? [...]


Valeu em mãe, legal você!




domingo, 3 de abril de 2011

Farra entre amigos ... e ele.

Entrei só pra postar isso!



Era uma tarde como qualquer outra no meu quarto, quando um dos meus amigos que fazia parte da galera do colégio vem falar comigo pelo msn. Era o Bruno :
- Tábata, eu, a Paula, o Marcel e o João vamos sair ... Vamos? Vou passa na sua casa [...]
E topei! Sempre furo o rolê com eles, e me sinto muito mal por isso. Amo cada um deles de verdade, sinto falta e não gosto de desapontar. Mas sei que com certeza já rolam boatos que não sou tão companheira como deveria ...
Por fim, passaram aqui Paulinha, Marcel e Bruno e fomos buscar o Joe no trampo. O Marcel não queria ir, a namorada não podia sair com a gente e ele queria ir pra casa dela fazer companhia haha'. Pegamos o João, bebemos, fumamos, rimos blá blá blá.



Ai que coisa boa, que saudade deles! É estranho no começo, não me veio uma sensação nostálgica ... Mas um leve desconforto, como se eu quase tivesse me esquecido de como era tudo aquilo ... Por fim fomos até a casa da Nika, namorada do Marcel.
Ficamos um tempo lá embaixo do prédio dela, bebendo, até que subimos e conhecemos a Mãe dela (e a irmãzinha dela, muito fooofaaaa!! Todo mundo queria pegar ela no colo! kkkk). Parecia irmã, e muuuuito zueira a mãe dela! kkkkk' É que meus pais também são lá muito liberais, mas tem gente que se rasgaria de inveja da mãe que ela tem! É o tipo de mãe que dá pra levar junto pra balada e fazer vira vira de tekila que ela participa e fica todo mundo numa boa! Ela só não permite drogas e confusão (claro, certa ela.).
Risos e biritas a parte, voltamos todos para casa. Marcel, desesperado, porque tinha que acordar cedo no dia seguinte pra ir trabalhar e o pai dele é linha dura. Paula e Bruno, entrosadíssimos hahaha, e o Joe ... haa, o Joe dormiu aqui em casa.

NÃO. Nada disso ... -'- maliciosos (:

Foi tão bom rever todos, e foi tão bom e estranho ver o João Marcelo dormindo aqui em casa de novo, pra ir trabalhar no dia seguinte, e me tratando bem, com todos aqueles carinhos dele como se o tempo tivesse parado e ainda estivéssemos no colégio. Haha, acho que gosto disso.
Chegamos uma hora da manhã em casa, minha mãe ainda estava acordada (ela deve ter sido uma coruja na vida passada), comemos, discutimos, sorrimos e fomos dormir...
Então agora cedo, ele veio até o meu quarto, umas duas horas antes de dormir e ficou aqui comigo. Foi simples, mas pra mim é tão legal ... sei lá ...



Ele conversou comigo, brincou com a minha cachorra (eu durmo com a minha cachorra), disse " - Na próxima vida quero voltar cachorro da Tábata". Falou sobre a minha boca, disse que é encantado ainda por ela ... Todas essas coisas sabem ?
Deitou um momento do meu lado, me abraçou, e brisamos, como sempre viajávamos nos últimos 3 anos ...
Não dissemos quase nada, só nos abraçamos e brisamos.
Nunca mais encontrarei alguém que que se disperse comigo assim tão bem ...
'' Ou encontro alguém MUITO melhor, ou simplesmente alguém normal. Igual, acho quase impossível. ,,

Incrível, revivi o passado que nem é tão passado.

sábado, 2 de abril de 2011

Pessoas quadradas


Existem pessoas que vivem dentro de seus quadrados. Não conseguem ir além dos contornos e aprisionam quem, por acaso ou por inocência, entrou para lhes dar alimento
Por que complicar tanto a vida, fazendo de conta que tudo tem lógica. A vida é tão intensa e cheia de aventuras. E, elas insistem em seus temores e crenças ...
Eu já conheci gente assim, e sei que não serão as primeiras nem as últimas.
Assumo que no primeiro momento, isso me magoava!
Mas agora ... Dá um pouco de pena, como se eles estivessem como na imagem acima: amarrados e tapando os olhos pra verdade.

Tem muito o que aprender.

Quadrados, deixem seus tabus para trás ...