domingo, 27 de fevereiro de 2011

Mas é claro que o sol, vai voltar amanhã ... ♪


E eu que pensava, estar só.
E eu que pensava, só eu pensar assim.
Eu que já me encantei com cada manhã que eu vi, nos ultimos 3 anos que vivi ...
Encontrei alguém, que se encatava com o sol da mesma forma que eu.
E mesmo quando estávamos longe, um sabia que o outro, quando o sol se punha, estava a pensar um no outro.
Até hoje não sei se algum dia amei de verdade. Mas com certeza, aquele foi o sentimento mais forte que tive por alguém. O sentimento que coloriu minhas manhãs, que me enchia de vida ... E num segundo, quase me levava ao suicídio.
Não importa.
O que importa, é hoje o meu dilema: o sol pra mim, já não é um poema. Já não é beleza. O sol já não me encanta.
Isso se sucede desde que abri mão do poeta, por quem um dia, como eu, também se apaixonou pelo sol.
Assumo que já tive ciúmes, do sol que continuava em minha cabeça, pro poeta tendo beleza.
Mas descobri que não.
"Não Vejo a Mesma Graça, em ver o sol Nascer"
Foi o que o poeta tornou a dizer.