segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Eu desisti. Mas por quê ?


Oi pessoas !

Hoje eu estava no twitter, quando comecei a relatar um caso antigo, que me aconteceu quando eu ainda era pré-adolescente.
O fato é que eu, como toda menina de 12 anos, era apaixonada por um rapaz. Tinha um amor platônico por ele. Mas ele era muito "garanhão" pra mim naquela época, coisa de garoto. Eu com 12 e ele com 16, não era de se esperar muito né. Hahaha, ele tentava ficar comigo, e eu não ficava, insistindo no amor platônico (na verdade eu tinha medo, porque nunca tinha beijado ¬¬). Então ele cansava, e partia pra minhas amigas. Claro que eu ficava horrorizada HAHA ...
Então, depois de toda aquela fase piegas, sofrida hahaha me desapeguei do rapaz. Até que essa pieguisse durou cerca de uns 2 anos ou um pouco mais. Mas acabou. E só me restou aquela frustrante sensação de que ele sempre me passava para trás. Me enchi de ódio, JUREI que iria ficar tão sedutora que iria ficar com ele anos mais tarde, só pra saber o que tinha "perdido" e depois, o deixaria na pior. Apaixonado, e sozinho, assim como eu fiquei por tempos e tempos, sempre pensando nele. Haha'
É claro que isso foi uma idéia pós-raiva que tive. E algum tempo depois me esqueci de tudo isso. Mas ironicamente, ele voltou pra mim. E ficamos. Porém, mesmo com todas as armas na mão pra faze-lo sofrer, me dá uma preguiça. Agora ele é tudo que eu queria: frágil, cansado de tantos relacionamentos frustrados. Eu diria até, que somos um tanto parecidos. E eu vou desperdiçar essa chance de deixá-lo pior.
Já posso até imaginar a cena dramática, como se fosse um filme, de eu mesma passando a mão na minha própria cabeça cheia de cachinhos de quando eu tinha 12 anos e dizendo "Sinto muito, não vou fazer o que prometi."
Que dilema! Sei que é só um capricho, mas é tão estranho quebrar uma promessa com si mesmo.
E aquele cara tem muito o que aprender ainda. Mas quem sou eu pra julgar ?
Nem é mais com ele que me preocupo. Vou deixa-lo em paz.
O que vocês acham ?

Eu tô aqui pra aprender, não pra julgar. Quem pode me julgar, quem ? ♪

Nenhum comentário:

Postar um comentário